É notícia
FarPortugal celebra 50 anos

 

A empresa FarPortugal - Indústria de Artigos Religiosos, sediada em Sobral, no concelho de Ourém, esteve em festa este sábado, 29 de maio, com a comemoração dos seus 50 anos, a coincidir precisamente com o dia do registo da empresa, em 1971. A celebração fez-se em família, com a família proprietária da FarPortugal e a família FarPortugal, da qual fazem parte os 29 funcionários e respetivas famílias.

A tarde começou com uma caminhada pela Via-Sacra, a partir da Rotunda Sul, na Cova da Iria, até ao Calvário Húngaro, e dali até ao Santuário, onde a matriarca da família deixou um ramo de flores a Nossa Senhora, detrás da Capelinha das Aparições. Mais tarde, no momento de convívio realizado no kartódromo e parque aventura Funpark, em Boleiros, a dona Nazaré Sebastião, com 89 anos de idade, explicou o gesto e o motivo da ida ao Santuário: “Já pensava que não voltaria à Capelinha das Aparições, estou muito contente. Fui lá agradecer a Nossa Senhora por ela nos ter ajudado tanto e ainda nos continuar a ajudar e também rezei pelo meu marido”.

Uma figura lembrada por todos durante a jornada de festa foi a de Valentim Fernandes Henriques, marido da dona Nazaré, falecido em 2016, o fundador da FarPortugal, empresa que é atualmente propriedade de cinco dos seus seis filhos. “O nosso pai e a nossa mãe trabalharam muito, passaram dificuldades que nós não passámos, eram outros tempos. Eles deram-nos a FarPortugal de mão beijada, o que é uma grande responsabilidade, temos de continuar o projeto com dedicação, trabalho e seriedade”, explicam Telma Henriques e Hélio Henriques, a filha mais nova e o filho mais velho do fundador, administradores da empresa. As outras irmãs proprietárias, Graça, Adélia e Idalina têm a seu cargo outras responsabilidades na área da produção.

Do Sobral para o Mundo

“80% daquilo que fabricamos está relacionado com a devoção a Nossa Senhora de Fátima: imagens, terços e outros artigos, como quadros, loiça e vidro. O restante responde a pedidos que nos chegam, que pedem produção de artigos de outras invocações religiosas”, conta Hélio Henriques. Telma Henriques acrescenta que dessa produção também cerca 80% das vendas representa exportações, “para praticamente todo o mundo, a quem vendemos a partir daqui. Depois, em algumas cidades, como Lourdes e Roma; em algumas ilhas francesas; nos Estados Unidos, junto de algumas comunidades portuguesas, temos representantes locais; a juntar aos nossos vendedores em Fátima, nas ilhas da Madeira e das Açores e para as restantes cidades de Portugal”.

Hélio Henriques recorda-se bem do momento em que o impulso à internacionalização foi fortalecido: “Foi com a nossa participação, em 1999, na feira de artigos religiosos em Paris. Eu e o meu cunhado Daniel levámos os nossos melhores artigos numa carrinha, as minhas irmãs, a minha mãe e o meu pai foram de avião; correu tudo muito bem.  Havia sempre gente no nosso stand, a querer conhecer-nos e aos nossos produtos, trouxemos de lá muitos contactos que ainda se mantém e que originaram outros contactos”. A partir desse momento a FarPortugal assumiu a participação nestas feiras especializadas como investimento promocional. “Não há muitos certames dedicados ao artigo religioso e, com chegada da Covid-19, não houve mesmo nenhum, mas, assim que retomem, queremos voltar a participar”, refere o empresário.

Gratidão de parte a parte

Sobressai dos funcionários – a mais antiga na casa, a Mirica, integra os quadros da empresa há 34 anos – o orgulho e a alegria por fazerem parte do projeto empresarial. Aliás, durante o momento de convívio do cinquentenário da empresa, foram partilhados vários testemunhos de gratidão quando a administração chamou, um a um, todos os funcionários para receber uma lembrança de agradecimento por toda a dedicação à empresa. Em sinal de gratidão, a família proprietária também recebeu um presente dos seus colaboradores: uma placa alusiva ao aniversário, com uma foto do fundador e outra dos atuais proprietários com a mãe e com o nome das funcionárias que fazia a oferta. A dona Nazaré recebeu um ramo de flores.

O tempo difícil passado no contexto de pandemia, com a maioria dos funcionários em casa, fortaleceu a ligação entre o grupo coordenador e os colaboradores. “Foi difícil, não tivemos produção, nem vendas, fechámos dois meses, apenas o escritório esteve a trabalhar, não entrámos em lay offf, mas assumimos as nossas responsabilidades enquanto empregadores. Não foi fácil e eles sabem disso, mas foi assim que decidimos fazer e não estamos arrependidos. Os nossos colaboradores precisam de nós, mas nós também precisamos muito deles”, diz Telma Henriques.

FarPortugal celebra 50 anos FarPortugal celebra 50 anos FarPortugal celebra 50 anos FarPortugal celebra 50 anos FarPortugal celebra 50 anos

contacto

+351 962 747 440
Fátima | Portugal

Newsletter

Registe-se na nossa newsletter.